FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Ação contra o 'Aedes' causa confusão na zona portuária do Rio

Turistas de três transatlânticos se assustaram com comitiva de cerca de 30 pessoas que acompanhavam ministro Hélder Barbalho

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

15 Fevereiro 2016 | 15h41

RIO - Uma ação da Secretaria dos Portos de combate ao mosquito da dengue, na manhã desta segunda-feira, 15, causou confusão no Píer Mauá, zona portuária do Rio. Turistas de três transatlânticos que atracaram nesta segunda se assustaram com a comitiva de cerca de 30 pessoas que acompanhavam o ministro Hélder Barbalho, que distribuía folhetos informativos sobre o mosquito Aedes aegypti

Uma guia que conduzia turistas que desembarcavam chegou a recusar o pedido de assessores do ministro de informar aos visitantes, em espanhol, o que era a ação e quem a estava realizando.

Depois da primeira abordagem, um funcionário do píer foi chamado para anunciar, em espanhol, a ação e, depois da fala, pediu palmas para Barbalho. Na parte coberta do cais, turistas foram abordados por seguranças, que pediam para se afastarem do grupo, para não atrapalhar a filmagem. Nos armazéns 13 e 14, o ministro acompanhou as novas ações realizadas pela Companhia Docas para extinguir focos de reprodução do vetor. Entre elas, uma estação de monitoramento de identificação de vetores e pragas, equipada com dois microscópios. 

Com a instalação, segundo a Secretaria dos Portos, é possível fazer levantamento do índice de infestação e controle do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Também foram instaladas armadilhas para captura dos mosquitos e “motofogs”, motos que fazem o serviço de fumacê nas áreas portuárias, foram utilizados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.