Acusada de injetar vaselina em menina chega para depor

A enfermeira, segundo o delegado, será indiciada ainda nesta quarta-feira por homicídio culposo

Solange Spigliatti, Central de Notícias

08 Dezembro 2010 | 14h53

A funcionária do Hospital São Luiz Gonzaga, na zona norte de São Paulo, acusada de ser responsável pela troca dos frascos de soro por vaselina, se apresentou à polícia na tarde desta quarta-feira, 8.

 

Veja também:

link Mãe de garota aponta enfermeira como responsável

link Polícia identifica suspeita de causar morte de menina; Cremesp investiga

link Menina morre depois de receber injeção de vaselina

 

A enfermeira, segundo o delegado-assistente Antônio Carlos Corsi Sobrinho, do 73º Distrito Policial, no Jaçanã, será indiciada ainda hoje por homicídio culposo - quando não há intenção de matar.

 

Na tarde de terça-feira, 7, a dona de casa Roseana Mércia dos Santos Teixeira, mãe de Stephanie, que morreu no sábado, 4, depois de receber vaselina no lugar de soro, também havia apontado outras duas funcionárias do hospital como responsáveis pela troca. Segundo o delegado, as duas auxiliares de enfermagem já prestaram depoimento e foram descartadas da acusação da troca dos frascos.

Mais conteúdo sobre:
vaselina soro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.