Antonio Milena/AE
Antonio Milena/AE

Adolescente morre durante voo entre Orlando e São Paulo

Jacqueline Ruas, de 15 anos, apresentava sintomas de gripe; exame no IML confirma ocorrência de pneumonia

Solange Spigliatti, Central de Notícias,

02 Agosto 2009 | 12h55

A adolescente Jacqueline Ruas, de 15 anos, que morreu na madrugada de domingo, 02, durante o voo de Orlando, nos Estados Unidos, para Guarulhos, na Grande São Paulo, estava com pneumonia, segundo exames feitos pelo Instituto Médico Legal de Guarulhos, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP).  

    

Jacqueline retornava de uma excursão de 12 dias a Orlando, nos EUA, e morreu às 5h43, pouco antes de o voo 758W, da Copa Airlines, pousar no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos.  

 

A adolescente começou a se sentir mal depois de uma escala no Panamá, durante a madrugada.

 

 Segundo o delegado Cristian Santana Lanfredi, a adolescente foi atendida por dois médicos que também eram passageiros e recebeu os procedimentos para reanimação, mas sem sucesso.

 

 Ao chegar ao aeroporto, a equipe médica da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) confirmou a morte da garota.

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foi acionada, junto com outros dois profissionais federais, que removeram o corpo para o posto médico da Infraero.

 

O delegado solicitou buscas na bagagem da adolescente, onde foram encontrados e apreendidos medicamentos, entre eles o remédio Tamiflu, usado no combate da gripe suína.

 

 O corpo de Jacqueline foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Guarulhos, onde foram feitos exames necroscópicos e toxicológicos, e foi constatada a pneumonia como causa da morte.  

 

O caso foi registrado como morte suspeita e as investigações serão feitas pela Polícia Federal. Em depoimento à polícia do aeroporto, uma das guias da excursão disse que a menina fez dois exames nos EUA e, segundo o delegado, lá ficou constatado que ela estava com pneumonia.

 

De acordo com Felipe Fortunato, diretor da agência de turismo Tia Augusta Turismo, responsável pela excursão, há alguns dias, durante a viagem, a adolescente começou a passar mal e foi levada para um hospital em Orlando, apresentando sintomas de gripe suína, como náuseas.

 

Segundo o diretor da agência, a adolescente foi atendida no Celebration Hospital de Orlando.

 

Ela passou por exames que revelaram o diagnóstico negativo para a doença, segundo Fortunato. A garota ficou por pelo menos um dia no hospital e foi liberada pelas autoridades de saúde dos Estados Unidos para viajar pois estava bem.

 

Primeiros socorros

De acordo com a nota da empresa, ao perceber que a passageira estava passando mal durante o voo, "a tripulação solicitou a presença de um médico a bordo. Dois profissionais se apresentaram, os quais aplicaram na passageira os primeiros socorros, dando a atenção médica devida".

 

Outra medida adotada foi o de comunicar sobre o ocorrido ao aeroporto de Cumbica, para que a passageira recebesse a devida assistência médica tão logo ocorresse a aterrissagem do avião em São Paulo, que teve prioridade para o pouso, segundo o diretor da agência de turismo.

 

Assim que aterrissou em São Paulo, a aeronave foi recebida pelo pessoal do Posto Médico do aeroporto, que constatou a morte da adolescente.

 

Duas guias da agência, que acompanhavam o grupo prestaram depoimento na delegacia da Polícia Civil no aeroporto.

 

 A adolescente morava em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo.

 

Texto atualizado às 17h23

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.