Adolescentes passam mal após vacina contra o HPV em Bertioga

Três adolescentes continuam hospitalizadas; grupo se queixou de dor de cabeça e dificuldades para caminhar após a dose

Zuleide de Barros, Especial para O Estado

08 Setembro 2014 | 15h37

SANTOS - Continuam internadas nesta segunda-feira, 8, no Hospital Guilherme Álvaro, em Santos, e sem previsão de alta, três das onze adolescentes de uma escola pública de Bertioga, que se queixaram de reação à segunda dose da vacina contra o papilomavírus (HPV), aplicada na última quinta-feira, 4, em um grupo de estudantes. Logo após a aplicação, onze meninas deram entrada no Pronto-Socorro de Bertioga com queixas de dor de cabeça e dificuldades para caminhar, já que não estavam sentindo as pernas. Oito estudantes tiveram alta no mesmo dia, mas três delas continuavam com os sintomas, sendo transferidas primeiramente para o Hospital Santo Amaro, em Guarujá, e depois para o Guilherme Álvaro, que é uma unidade estadual, considerada de referência para a região.

Nesta segunda, a mãe de uma das meninas, Darci dos Santos, informou que a filha, de 13 anos, já havia passado por uma bateria de exames, incluindo tomografia, mas que os sintomas, sobretudo a queixa "de que não sentia as pernas", ainda estava presente. Outras duas garotas, de 12 anos, que já haviam obtido alta, retornavam ao hospital, queixando-se de dores nas pernas e pelo corpo, porém, sem dificuldades de locomoção.

A Secretaria Estadual de Saúde está acompanhando de perto os casos das onze jovens e já descartou qualquer problema com o lote de vacinas utilizado em Bertioga. De acordo com a responsável pelo setor de imunizações da secretaria, Helena Sato, a vacinação contra o HPV vai continuar em todo o Estado. Ela disse que não há qualquer associação dos sintomas apresentados pelas adolescentes de Bertioga com a aplicação da vacina, uma vez que o mesmo lote, composto por 320 mil doses, vem sendo aplicado desde o início do mês, em estudantes de todo o Estado de São Paulo. 

Helena Sato lembrou que desde o dia 1º de setembro, 20 mil meninas já foram imunizadas contra o HPV em todo o Estado e que só em Bertioga, 400 adolescentes receberam a vacina, que tem como objetivo prevenir contra o câncer de colo de útero, que é a quarta causa de morte entre as mulheres. A primeira etapa da campanha foi desencadeada em março, quando 940 mil meninas foram vacinadas em todo o Estado.

Mais conteúdo sobre:
HPVvacinaBertioga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.