Adolescentes que dormem menos de 8 horas comem mais alimentos gordurosos

Falta de sono causa alterações na dieta, aumentando risco de obesidade sobretudo em meninas

Reuters

03 Setembro 2010 | 18h47

CHICAGO - Adolescentes que dormem menos de 8 horas diárias comem mais alimentos gordurosos e lanches que aqueles que descansam por mais tempo a cada noite, apontaram pesquisadores americanos na última quarta-feira. Eles disseram que dormir pouco pode resultar em alterações crônicas na dieta, o que pode aumentar o risco de obesidade, principalmente em meninas.

Estudos anteriores mostraram que dormir pouco pode levar ao ganho de peso, mas as novas descobertas mostram de onde as calorias extras vêm. Aumentar a ingestão de alimentos gordurosos, tipicamente ricos em calorias, pode incrementar a ingestão calórica diária total e, se isso acontece regularmente, pode levar a um excesso de gordura.

"A demonstração de padrões alimentares cronicamente alterados em adolescentes com menor tempo de sono fornece um insight sobre por que um tempo mais curto de sono tem sido associado à obesidade em estudos experimentais e observacionais anteriores", disse o Dr. Susan Redline, do Brigham and Women's Hospital e do Centro Médico Beth Israel Deaconess em Boston , cujo trabalho aparece na revista Sleep.

Redline e seus colegas estudaram 240 adolescentes com idades entre 16 e 19 anos como parte de um estudo em andamento sobre o sono. A noite dos voluntários foi monitorada em casa por um dispositivo em forma de pulseira. Já o consumo alimentar foi medido com entrevistas realizadas por uma equipe treinada.

Apenas 34% dos adolescentes pesquisados dormiram em média 8 horas ou mais por noite. Segundo a Academia Americana de Medicina do Sono, os adolescentes precisam de pelo menos 9 horas de descanso diárias para se sentirem alertas e descansados.

Os pesquisadores descobriram que os adolescentes que dormiram menos de 8 horas durante a semana consumiram 2,2% mais calorias provenientes de gorduras e 3% menos calorias de carboidratos que os jovens que dormiram 8 horas ou mais por noite.

"O aumento relativo do consumo de gordura entre os que dormiram menos pode contribuir cronicamente para o aumento cumulativo do consumo de energia, o que poderia aumentar o risco de obesidade e doenças cardiovasculares", afirmou Redline em comunicado.

Mas esse risco pode ser facilmente invertido. A equipe descobriu que cada hora adicional de sono diminui em até 21% as chances de comer uma grande quantidade de calorias provenientes de lanches.

Curiosamente, quando olharam o grupo dividido por sexo, os pesquisadores encontraram resultados estatisticamente mais significativos entre as meninas. Embora ainda não esteja claro por quê, a equipe disse que as adolescentes estão mais propensas a recorrer à comida por razões emocionais que os garotos, mas que isso precisa ser aprofundado.

Mais conteúdo sobre:
obesidadesonodieta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.