África do Sul avança no combate à Aids, desafios permanecem

A África do Sul, que abriga uma daspiores epidemias de Aids, tem obtido avanços no combate aovírus do HIV, mas o uso do preservativo ainda é insuficiente nopaís, disseram líderes do governo neste sábado. Um a cada nove sul-africanos é infectado pelo vírus, mas oo governo do presidente Thabo Mbeki tem sido acusado porcríticos de não fazer o suficiente para conter a propagação dadoença. A ministra da Saúde, Manto Tshbalala-Msimang, citou umestudo mostrando uma queda de infeção do vírus entre asmulheres grávidas --referência usada para medir a infecção napopulação como um todo. "O relatório de 2006 que mostra resultados do pré-natal,lançado este ano, apurou queda no predomínio do HIV entre asmulheres grávidas que usam o serviço de saúde pública", disseela à agência de notícias SAPA. "Caiu para 29,1 por cento em 2006, comparado com 30,2 porcento em 2005...O índice de mulheres abaixo de 20 anos caiu de15,9 por cento em 2005 para 13,7 por cento em 2006, sugerindouma possível redução de novas infecções na população", disse aministra em evento para comemorar o Dia Mundial de Combate àAids, ao norte da província de Limpopo. Mbeki, que tem sido criticado por não assumir aresponsabilidade de combate à Aids, incentivou os sul-africanosa usarem o preservativo. "O mais importante é que precisamos, todos nós, entenderessa mensagem com muita seriedade, principalmente os nossosjovens", disse Mbeki na rádio pública SABC. O antecessor de Mbeki, Nelson Mandela, está à frente de umshow com artistas famosos em Joanesburgo. São esperadas paraatração deste sábado cerca de 50 mil pessoas, e os recursoslevantados serão doados a instituições de caridade. O show terá participações como as dos cantores PeterGabriel, Annie Lennox e Corinne Bailey Rae. O governo cedeu às pressões e lançou, em 2003, um programapara prolongar a vida do portador do vírus HIV. No entanto, ativistas têm se queixado que o programa estádemorando para avançar, causando centenas de mortes por dia.Cerca de 700 mil portadores do HIV estão sem tratamento,principalmente aqueles que se encontram em regiões rurais, ondeas clínicas estão lotadas com acúmulo de casos.

REUTERS

01 de dezembro de 2007 | 15h00

Tudo o que sabemos sobre:
AIDSAFRICASUL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.