Agência detecta degelo desconhecido em placa antártica

Satélite detectou degelo desconhecido até agora de 1.790 quilômetros quadrados na placa de gelo antártica Larsen B, ocorrido durante a última década

Efe,

05 de abril de 2012 | 17h01

 O satélite de observação da Terra Envisat detectou um degelo desconhecido até agora de 1.790 quilômetros quadrados na placa de gelo antártica Larsen B, ocorrido durante a última década, informou a Agência Espacial Europeia (ESA).

   

A perda foi observada na enorme placa que é parte de outra maior, integrada também pela placa A - a menor - e a C, a maior, que se estende ao longo da costa leste da Península Antártica, indicou a ESA.

O satélite comprovou que a Larsen B passou de 11.512 quilômetros quadrados a 6.664 em 2002, quando em apenas alguns dias de fevereiro ela perdeu uma superfície de 3.200 quilômetros quadrados.

Larsen A se desintegrou em janeiro de 1995 e a Larsen C se mantém estável, ainda que as observações do satélite tenham permitido constatar um afinamento da capa de gelo e aumento da duração do degelo no verão.

"As capas de gelo são sensíveis ao aquecimento atmosférico e às mudanças nas correntes dos oceanos e às temperaturas", explicou Helmut Rott, professor da Universidade de Innsbruck, na Áustria.

O especialista acrescentou que a temperatura ao norte da Península Antártica aumentou 2,5 graus nos últimos 50 anos, cifra superior à média global, o que causou uma "desintegração das capas de gelo".

A ESA assinalou que os radares dos satélites para as observações terrestres, como Envisat, são "especialmente úteis para a supervisão das regiões polares porque podem adquirir imagens através de nuvens e da escuridão".

Envisat estará em órbita por pelo menos mais dois anos e em 2013 uma

nova geração de satélites da ESA, as missões Sentinel, farão as observações terrestres.

Tudo o que sabemos sobre:
AntártidaplacageloESA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.