Agência europeia recebe novos dados da Phobos-Grunt

Na quarta-feira, horas após ser considerada perdida no espaço, a Agência Espacial Europeia recebeu sinais da sonda

Efe

24 de novembro de 2011 | 07h56

 

MOSCOU - Os especialistas da Agência Espacial Europeia (ESA) conseguiram receber dados de telemetria da sonda interplanetária russa Phobos-Grunt, que chegou a ser considerada perdida, afirmou nesta quinta-feira o representante da ESA na Rússia, Rene Pishel.

 

"Novamente se conseguiu estabelecer comunicação com a Phobos-Grunt. Recebemos dados de telemetria, que estão sendo analisados pelos colegas da corporação Lavochkin (fabricante do aparelho)", disse Pishel em declarações à agência de notícias oficial russa RIA Novosti.

 

Lançada no último dia 8, a Phobos-Grunt deveria cumprir uma missão de 34 meses em Fobos, uma das luas de Marte, mas uma falha ainda não esclarecida fez com que a sonda ficasse na órbita terrestre, em vez de seguir rumo ao satélite do Planeta Vermelho.

 

Um dia após o primeiro contato com a Phobos-Grunt, a comunicação com o aparelho foi novamente estabelecida pela estação de monitoramento da ESA em Perth, Austrália. Mas dessa vez a novidade é que, pela primeira vez desde o lançamento da sonda, os especialistas em terra receberam dados dela.

 

Pishel indicou que a sessão de comunicação com a Phobos-Grunt teve uma duração de apenas seis minutos e, embora a potência do sinal fosse boa, poucos dados devem ter sido recebidos pela ESA. "Mas isso só nossos colegas da corporação Lavochkin podem confirmar".

 

A Roscosmos (agência espacial russa) declarou que ainda há tempo até o fim de mês para tentar reanimar a Phobos-Grunt e colocá-la rumo a seu destino original.

 

O projeto, avaliado em 5 bilhões de rublos (US$ 170 milhões), tinha como objetivo estudar a matéria inicial do sistema solar e ajudar a explicar a origem das luas marcianas Fobos e Deimos, assim como dos demais satélites naturais do Sistema Solar.

Tudo o que sabemos sobre:
phobos-gruntmarterússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.