Agenda: Curitiba faz amanhã teste rápido de HIV

A primeira mobilização para diagnóstico da infecção pelo HIV por meio de teste rápido feita no Brasil será realizada amanhã, em Curitiba. O objetivo da ação é ampliar o acesso ao diagnóstico. As pessoas vão poder realizar o teste em 26 Unidades de Saúde. Até o fim do ano, os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) de todas as capitais do país estarão utilizando esta forma de diagnóstico. Curitiba está sendo a primeira cidade a implementar o teste rápido. A ação é promovida pela Prefeitura Municipal de Curitiba, em parceria com o Ministério da Saúde. A cidade de Curitiba foi escolhida por ter sido campo de teste do estudo de desempenho dos testes rápidos em 2003. A expectativa é atender 5 mil pessoas. O resultado do teste rápido sai em até 30 minutos. O exame tem como vantagens a possibilidade de fornecer ao paciente a realização do teste, o resultado e o aconselhamento no mesmo atendimento. Além disso, para sua realização, não há necessidade de uma infra-estrutura laboratorial, o que diminui as despesas relativas a transporte de amostras e de encaminhamento dos resultados dos laboratórios. Atualmente, o tempo entre a realização do exame e a entrega do resultado é de 13 dias. O teste rápido já é utilizado no Brasil em duas situações: em populações que residem em áreas de difícil acesso (como a região Norte) e em gestantes que não realizaram o teste anti-HIV durante o pré-natal. Em 2005, foram gastos R$ 4,2 milhões em 524.915 testes rápidos, que foram utilizados em sua maioria em maternidades (509.180) e o restante em 12 municípios do Amazonas - Parintins, Itacoatiara, Manaus, Manacapuru, Lábrea, Tefé, Coari, São Gabriel da Cachoeira, São Paulo de Olivença, Tabatinga, Benjamin Constant e Eirunepé. Em 2006, já foram adquiridos 105.980 no valor de R$ 836 mil até março (102.380 para as maternidades e 3.600 testes para o estado do Amazonas). O desempenho dos testes rápidos foi avaliado por meio de um estudo promovido pelo Ministério da Saúde/Programa Nacional de DST e Aids e o Centers for Disease Control and Prevention (CDC), dos EUA, realizado na cidade de Curitiba. Foram coletadas 1.000 amostras em um Centro de Testagem e Aconselhamento, 1.100 amostras de gestantes e 200 amostras de indivíduos sabidamente positivos para o HIV. Os resultados dos testes rápidos foram comparados com os obtidos com os testes tradicionais (Elisa e Western Blot), comprovando sua eficácia e segurança. Campanha Iniciada em 2 de abril, a campanha envolve inserções na TV, rádio, folders, cartazes em ônibus e no mobiliário urbano da cidade. A campanha foi realizada com a cantora Daniela Mercury, que doou o seu cachê para duas instituições voltadas para o tratamento de pessoas com aids (uma da Bahia e outra de Curitiba). Entre 8 de abril e 5 de maio, a mobilização será mantida com intensificação da coleta para sorologia (metodologia convencional), sem necessidade de consulta médica, em todas as 93 Unidades Básicas de Saúde. A partir de 10 de abril, a testagem rápida estará disponível no Centro de Orientação e Aconselhamento de Curitiba e os testes convencionais continuam disponíveis em todas as unidades de saúde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.