Aglomeração na rua dá multa no Paraná pela gripe suína

Também foi vetada a realização de eventos ao ar livre e em ambientes fechados para reduzir circulação do vírus

AE,

10 Setembro 2009 | 09h32

SÃO PAULO - Acordo entre a prefeitura de Jacarezinho (a 400 quilômetros de Curitiba), no Paraná, e comerciantes, principalmente donos de restaurantes e pizzarias, alterou, um dia após entrar em vigor, decreto que estipulava fechamento do comércio às 18h30. Criada para reduzir a circulação do vírus da gripe suína, a determinação agora permite abertura até a meia-noite.

Pelo decreto, as pessoas estão proibidas de se aglomerarem nas ruas, principalmente em frente a bares, lanchonetes e casas de show. Também foi vetada a realização de eventos ao ar livre e em ambiente fechado. A princípio, a determinação vale até o dia 27. Porém, a prefeita Valentina Helena de Andrade Toneti (PT) deve se reunir hoje com o secretariado para rediscutir a questão.

O decreto prevê multa de R$ 1,5 mil e a interdição do estabelecimento que desobedecer à ordem de fechamento. Cada pessoa que se aglomerar nas ruas estará sujeita a multa de R$ 300. Nem o decreto nem a prefeitura dizem quantas pessoas formam uma aglomeração. Com cerca de 39 mil habitantes, Jacarezinho registrou duas mortes por gripe suína e 30 casos confirmados. Outras 112 pessoas estão em casa com diagnóstico clínico e cinco, internadas.

Segundo o promotor de Justiça de Jacarezinho Paulo José Gallotti Bonavides, a medida não cerceia o direito constitucional de ir e vir e quem se sentir prejudicado deve procurar o Judiciário. "Por um lado, acho que (o decreto) é muito forte, mas, por outro lado, devo louvar a atitude pela tentativa de resguardar a comunidade." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína PR Jacarezinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.