'Agora, falta explicar só 95% do Universo'

Com as descobertas de Peter Higgs e François Englert, além das comprovações do Cern, 5% do Universo está explicado. "Falta apenas 95%", declarou ao Estado Rolf Heuer, diretor do Cern. Atualmente o LHC está passando por manutenções e será reaberto apenas em 2015. Segundo Heuer, quando o acelerador voltar a realizar testes, desta vez com um volume maior de energia, terá como tarefa mergulhar sobre o restante desconhecido.

Jamil Chade / GENEBRA, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2013 | 02h05

"Completamos o Modelo Padrão e já é um grande feito. Certamente uma das maiores descobertas do últimos cem anos, comparável ao DNA. O que se descobriu foi a base de nossa existência física", explica. "Mas falta explicar todo o resto, como a matéria escura. Não temos nem ideia do que seja."

Heuer não esconde que não há prazo para atingir o próximo objetivo. "Levamos 50 anos para revelar a última etapa do que é o mundo visível. Portanto, não podemos ter pressa. O que precisamos é abrir essa nova janela ao mundo paralelo do qual não sabemos quase nada."

O diretor admite que não imaginava que o bóson de Higgs seria descoberto em apenas três anos de experimentos. Mas aponta que, as próximas etapas, podem ser mais complicadas. "Obviamente esperamos novas descobertas. Mas ninguém pode imaginar quando vão surgir", disse. Para Joe Incandela, um dos principais cientistas do Cern, o que cada descoberta revela é que a humanidade tem um lugar "pequeno" no Universo. "Percebemos que somos menores do que imaginávamos. Descobrimos que o mundo não era o centro do universo. Agora, que somos apenas 5% dele", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
Ciêncianobel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.