Agressividade na infância pode estar ligada a um parto difícil, diz estudo chinês

Bebês que nasceram com o uso de fórceps são mais propensos a problemas emocionais

Reuters

03 Novembro 2010 | 17h02

CINGAPURA - Bebês que vieram ao mundo em um parto difícil, com o uso de fórceps, são mais propensos a desenvolver problemas como a agressividade durante a infância se comparados com aqueles que nasceram de cesariana, informou um estudo feito na China.

Os pesquisadores acreditam que os problemas comportamentais podem estar ligados ao alto nível de cortisol, um hormônio que o corpo produz durante um nascimento estressante e difícil.

"A associação entre o modo de nascimento e uma psicopatologia na infância está provavelmente relacionada ao efeito do cortisol", escreveram os pesquisadores em artigo publicado nesta quarta-feira, 3, no Jornal Internacional de Ginecologia e Obstetrícia.

Estudos anteriores concluíram que níveis de cortisol no sangue do cordão umbilical são menores em bebês que nascem de cesariana opcional, seguido pelo parto normal espontâneo. Altos níveis de cortisol são encontrados em partos normais com a ajuda de fórceps ou por vácuo extrator.

"Os níveis de cortisol foram relacionados à psicopatologia infantil. Entretanto, novas pesquisas são necessárias para olhar com mais detalhes para isso", escreveram os cientistas, liderados pelo professor Jianmeng Liu, vice-diretor do Instituto de Saúde Reprodutora e da Criança do Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Pequim.

O levantamento envolveu 4.190 crianças que nasceram nas províncias de Zhejiang e Jiangsu, no sul da China. Elas foram avaliadas entre as idades de 4 a 6 anos por problemas como timidez, ansiedade, depressão, dificuldade de concentração e comportamento delinquente e agressivo.

Esses diagnósticos foram menores em crianças que nasceram por cesariana e maiores naquelas cujas mães deram à luz com a ajuda de instrumentos como fórceps ou vácuo extrator.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.