AGU entra com ação contra clínica que negou pedido de cubano

Centro de diagnósticos de Uberlândia se recusou a fazer ultrassom proposto por profissional integrante do programa Mais Médicos

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

05 Setembro 2014 | 18h58

A Advocacia-Geral da União (AGU) ingressou com uma ação civil pública contra uma clínica particular de Uberlândia que se recusou a fazer ultrassom numa gestante, alegando que o pedido havia sido feito por um médico cubano. O profissional é integrante do Mais Médicos.

Proposta nesta terça contra a clínica Sono Diagnose, a ação tem como objetivo evitar que recusas semelhantes sejam registradas, informou o consultor do Ministério da Saúde, Fabrício Braga. "Pedimos que, caso problema se repita, a clínica seja obrigada a pagar uma multa de R$ 100 mil."Além da ação, o governo prepara um parecer vinculante, que deverá ser apresentado para a presidente, nos próximos dias.

O parecer seria o instrumento para se contrapor a uma recomendação feita pelo Conselho Federal de Medicina para que seus associados não aceitem atestados ou pedidos de exames de intercambistas do programa Mais Médicos. "As solicitações tem validade legal e devem ser respeitadas", disse o consultor.A recusa no atendimento ocorreu em julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.