Aids é mais freqüente entre portadores de doenças mentais

Índice de pacientes com o vírus chega a 0,8%, contra 0,61% da população adulta brasileira

Carolina Freitas, da Agência Estado,

11 de novembro de 2008 | 13h49

A prevalência de Aids entre portadores de transtornos mentais é mais alta do que a da média da população, mostra estudo divulgado nesta terça-feira, 11, pelo Ministério da Saúde. O índice de doentes psiquiátricos infectados pelos HIV chega a 0,8%, contra 0,61% da população adulta brasileira. Participaram da pesquisa 2.238 pacientes de 11 hospitais psiquiátricos e 15 Centros de Atenção Psicossocial (Caps) do País. Coordenado por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o estudo indica ainda índices de prevalência significativos de outras doenças sexualmente transmissíveis nesse público, como a sífilis (1,12%) e a hepatite B (14,7% tiveram contato com o vírus e 1,64 foram infectados). Para o coordenador da pesquisa, Mark Drew Guimarães, os dados demonstram a vulnerabilidade desse grupo, que têm vida sexual ativa, mas sem proteção. Segundo o estudo, 88% dos pesquisados já teve relação sexual - em 61% dos casos com mais de um parceiro. Nos últimos seis meses, 61% tiveram relação, sendo 16% com mais de uma pessoa. Apesar disso, apenas 7% usaram preservativo em todas as ocasiões. O índice de uso da camisinha da população em geral é de 33%. A falta de orientação para prevenir as doenças nas unidades de atendimento psiquiátrico também colabora para o alto índice de infecção dos pacientes. Apenas 26,9% dos centros mantêm algum programa de educação sexual e 30% distribuem preservativos. Perfil A maioria dos participantes da pesquisa são mulheres, acima de 40 anos, separadas ou solteiras, com filhos e pelo menos cinco anos de escolaridade. Os principais transtornos psiquiátricos de que sofrem os pacientes são esquizofrenia e psicose (47,7%), depressão (12,9%) e transtorno bipolar (9%).

Tudo o que sabemos sobre:
aidshivMinistério da Saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.