Ainda são poucos os partos normais na rede privada

Apesar dos esforços de maternidades privadas para reduzir o número de cesáreas, ele ainda é alto no País. Estudo divulgado neste mês pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) indica que as cesarianas praticadas por planos de saúde correspondem a 79,7% do total de partos. O resultado coincide com os da Associação Nacional dos Hospitais Privados (Anahp), de 80%. Uma das metas da ANS é aumentar, em três anos, o número de partos normais em 15%, através de debates com médicos e outras medidas. No Sistema Único de Saúde (SUS), a proporção é bem diferente. Em 2004, as cesáreas foram 40% do total. Segundo o Ministério da Saúde, os programas de humanização, implantados em 2003, têm colaborado para esse índice.

Agencia Estado,

24 de janeiro de 2006 | 10h08

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.