Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Alckmin diz que é possível vacinar contra febre amarela todo o Estado até o fim do semestre

Campanha de imunização fracionada que tem início nesta quinta-feira, 25, nas zonas sul e leste da capital, além de cidades do interior, pretende vacinar 9 milhões de pessoas

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

23 Janeiro 2018 | 14h06

SÃO PAULO - Após a morte de um macaco bugio por febre amarela na região sul de São Paulo, que levou ao fechamento do Zoológico, do Zoo Safári e do Jardim Botânico nesta terça-feira, 23, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) antecipou a meta de vacinação em todo o Estado de São Paulo para o final deste semestre. 

O tucano havia dito, na semana passada, que toda a população paulista estaria vacinada até o fim do ano. 

Alckmin afirmou ainda, nesta terça, que a reabertura dos parques ocorrerá dez dias após a imunização de toda a região sul da capital. 

"Poderemos terminar a vacinação em todo estado ainda no primeiro semestre. É possível fazê-lo", disse Alckmin durante inauguração da estação Higienópolis-Mackenzie, da Linha 4-Amarela do Metrô.

A campanha de imunização fracionada que tem início nesta quinta-feira, 25, nas zonas sul e leste da capital, além de cidades do interior, pretende vacinar 9 milhões de pessoas. Até o dia 20, o governo estadual prevê ter imunizado 20 milhões. 

​O Parque Estadual Fontes do Ipiranga (PEFI) foi fechado nesta terça-feira, 23, após ser confirmada a morte de um bugio por febre amarela no Zoológico de São Paulo. Maior área de mata atlântica dentro do perímetro urbano da região metropolitana de São Paulo, o PEFI reúne a Fundação Parque Zoológico de São Paulo (que inclui o zoológico e o Zoo Safari), o Jardim Botânico e o Parque de Ciência e Tecnologia (CienTec), da Universidade de São Paulo (USP). 

O diagnóstico de febre amarela foi confirmado na segunda-feira, 22, pela Secretaria de Estado da Saúde, que colocou avisos nas entradas dos espaços do PEFI. O bugio que teve febre amarela foi encontrado em 10 de janeiro perto do bosque das aves africanas, dentro do próprio zoológico, embora fosse um "animal de vida livre". ​

Após a confirmação da morte do macaco, a Secretaria do Estado da Saúde ampliou a campanha de vacinação, que começa nesta quinta-feira, 25, para mais quatro distritos de São Paulo: Jabaquara, Cidade Ademar, Cursino e Sacomã. Com a ampliação, mais de 9 milhões de pessoas deverão ser vacinadas no Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.