Alemão leva Nobel de Química por estudos sobre superfícies

Gerhard Ertl estudou como processos químicos afetam superfícies sólidas.

BBC Brasil, BBC

10 de outubro de 2007 | 14h45

O cientista alemão Gerhard Ertl foi o vencedor do Prêmio Nobel de Química deste ano por seus estudos sobre como processos químicos afetam superfícies sólidas, anunciou nesta quarta-feira a Academia Sueca de Ciências.O trabalho de Ertl tem aplicação em áreas variadas, como no processo de fabricação de fertilizantes e no desenvolvimento da tecnologia de células de hidrogênio, usadas em veículos.Ertl, que é professor de química física no Instituto Fritz-Haber, em Berlim, disse que o prêmio "é a maior honra que pode se imaginar na vida de um cientista".Passo a passo, o alemão criou uma metodologia, demonstrando como diferentes procedimentos experimentais poderiam ser usados para estabelecer um quadro completo de como uma reação química afeta uma superfície.Esse campo da ciência exige o uso de equipamentos avançados para observar, por exemplo, como camadas individuais de átomos e moléculas se comportam em uma superfície pura de metal.A contaminação das superfícies pode comprometer medições necessárias na indústria. Por isso, métodos que permitam se saber como superfícies vão ser afetadas pelos processos químicos precisam combinar diferentes técnicas e ser precisos.O comitê responsável pela escolha de Ertl disse que as descobertas de Ertl "forneceram a base científica da química de superfície moderna". "Sua metodologia é usada tanto em pesquisas acadêmicas como no desenvolvimento industrial dos processos químicos."O Nobel de Química foi o terceiro Prêmio Nobel anunciado neste ano. Na terça-feira, o também alemão Peter Grunberg e o francês Albert Fert levaram o Nobel de Física por estudos que permitiram a criação de discos rígidos pequenos, como os usados nos iPods.No dia anterior, foram anunciados os vencedores do Nobel de Medicina, que foi para os geneticistas americanos Mario Capecchi e Oliver Smithies e o britânico Martin Evans.Eles conseguiram isolar o papel de milhares de genes no desenvolvimento de problemas de saúde por meio da simulação de doenças humanas em ratos de laboratório.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
quimicanobelpremioPremio Nobel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.