Alerta no nível 6 não é o fim do mundo, diz OMS sobre gripe

Segundo diretora de órgão, elevação de risco de pandemia é provável, mas não há razão para pânico mundial

Reuters

04 Maio 2009 | 07h40

OMS aumenta para 985 casos de gripe suína no mundoOrganização Mundial da Saúde deve elevar seu alerta de pandemia para o nível máximo em uma escala de 1 a 6 e declarar uma epidemia mundial de gripe, disse a diretora-geral da entidade em entrevista publicada nesta segunda-feira. Em afirmações que indicaram mais uma elevação no nível do alerta, mas sem dizer quando, a chefe da OMS, Margaret Chan, alertou contra a confiança excessiva após a estabilização do número de novos casos da gripe H1N1, que deixou mortos no México e se espalhou para vários países.  

Veja também:

link Balanço da OMS indica 985 casos de gripe suína no mundo

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde  

"O nível 6 não significa, de forma alguma, que estamos enfrentando o fim do mundo. É importante deixar isso claro porque, se não, quando anunciarmos o nível 6 isso causará um pânico desnecessário", disse Chan ao jornal espanhol El País.

"Os vírus da gripe são muito imprevisíveis, muito enganosos... Não devemos ficar confiantes demais. Não podemos dar oportunidade para o H1N1 se misturar com outros vírus. É por isso que estamos em alerta."  As fases de pandemia da OMS refletem como um vírus está de disseminando, e não quão severos são os seus efeitos.

Na semana passada, a agência da Organização das Nações Unidas elevou o nível de alerta duas vezes, da fase 3 para fase 5, em resposta à transmissão significativa do H1N1 no México e nos Estados Unidos.

Antes de declarar o alerta nível 6, a OMS precisa constatar que o vírus está se disseminando dentro de comunidades na Europa e na Ásia.

O alerta máximo de pandemia obrigaria os governos de todo o mundo a instituírem seus planos de resposta a uma epidemia global, o que pode incluir medidas em hospitais, escolas e eventos públicos.

O nível 6 também solicita uma apoio maior aos países em desenvolvimento que têm falta de medicamentos, exames, e profissionais de saúde para responder de forma apropriada à gripe, que segundo a OMS pode ser especialmente grave para portadores do vírus HIV.

Mais conteúdo sobre:
GRIPE OMS INDICA FASESEIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.