Amazonas alerta Saúde sobre reação de pacientes a anestesia

A secretaria de Saúde do Amazonas notificou no dia 26 de fevereiro o Ministério da Saúde de reações alérgicas que quatro pessoas tiveram depois de serem anestesiadas numa clínica privada de Manaus com cloridrato de lidocaína do laboratório Hipolabor. De acordo com o chefe da Vigilância Sanitária no Estado, Evandro Melo, apenas o hospital Santa Júlia, onde ocorreram os casos, tinha o anestésico no Amazonas. "Fizemos blitze tanto no sistema público quanto no particular no Estado, mas só encontramos e recolhemos lotes no hospital onde os casos foram notificados", afirmou. Melo informou que, no dia 26, a suspeita era de que as quatro pessoas que passaram mal depois de anestesiadas estivessem com meningite. A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital chegou a ser interditada naquele dia. Depois dos exames epidemiológicos e da observação dos pacientes durante aquele dia, constatou-se que era uma reação alérgica, segundo Melo. "Pareceu meningite no início porque os pacientes tiveram convulsões. Mas, como até cinco horas depois os pacientes estavam normais, o diagnóstico foi de uma reação alérgica causada pelo anestésico", contou.

Agencia Estado,

21 de março de 2006 | 13h00

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.