Amazonas faz alerta para número de casos de rabdomiólise

Total de 37 casos registrado enm três meses supera a média normal; exames serão realizados em São Paulo

Liege Albuquerque, da Agência Estado,

09 de outubro de 2008 | 18h58

A Secretaria de Saúde do Amazonas anunciou um alerta sobre a provável ligação entre o consumo de peixes regionais, como o pacu e o tambaqui, e a ocorrência de 37 casos de rabdomiólise em Manaus, de junho a setembro deste ano. Mesmo assim, a vigilância epidemiológica do Estado não desaconselhou o consumo dos peixes, por não haver até agora nenhuma comprovação técnico-científica da ligação entre a doença e o consumo.    "Não é um surto, o número de casos não é grande para justificar o termo. Os 37 casos em três meses, contudo, são superiores ao número de casos detectados por mês, que são até dois", explicou o coordenador da Fundação de Vigilância Sanitária (FVS) do Amazonas, Bernardino Albuquerque. Segundo a secretaria de Saúde, em investigação preliminar, dos 37 casos, em 10 pacientes foram identificadas causas específicas para a doença, desde atividade física excessiva a abuso de álcool.    Os 27 casos restantes estão sob investigação, sem que tenha sido determinada a causa. Amostras de alimentos, inclusive peixes, consumidos pelos pacientes, serão enviados ao Instituto de Toxicologia de São Paulo. O que chama a atenção, segundo Albuquerque, é que os pacientes relataram o consumo de peixes antes de apresentarem os sintomas da doença. De acordo com nota da FVS, nos Estados Unidos ocorrem anualmente cerca de 26 mil casos da doença.   A rabdomiólise é uma síndrome provocada por uma toxina que causa a degeneração muscular, com liberação de conteúdo intracelular, como potássio e fosfato, na circulação sanguínea, o que pode causar uma rápida insuficiência renal e levar à morte. Os sintomas são mialgia (dores musculares), fraqueza, mal estar, rigidez muscular e urina escura.   Na literatura médica, há dez grupos com dezenas de causas, de infecção a intoxicação, além de vários fatores de risco da rabdomiólise. As causas ou fatores mais freqüentes são o consumo de álcool, o exercício físico intenso e a utilização de determinados medicamentos e drogas. Também há casos após o consumo de peixes e aves, ou a combinação de vários desses fatores.

Tudo o que sabemos sobre:
amazonasrabdomiólisepeixe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.