Amostras grátis deverão seguir regras do medicamento original

Anvisa determina que amostras terão que atender mesmos padrões de fabricação, embalagem e rastreabilidade

Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

30 de novembro de 2009 | 11h52

As amostras grátis de medicamentos distribuídas pelos laboratórios farmacêuticos deverão seguir os padrões de fabricação e embalagens dos produtos originais registrados na Agência acional de Vigilância Sanitária (Anvisa), apresentando os mesmos instrumentos de rastreabilidade e autenticidade.

 

Veja também:

linkSUS deve investir mais em medicamentos de combate ao fumo

linkOperação prende 8 e confisca remédios falsificados na Paraíba 

 

A determinação foi publicada na edição da última sexta-feira, 27, do Diário Oficial da União e busca ampliar e harmonizar os mecanismos de proteção da saúde da população, já que as amostras devem ser medicamentos iguais àqueles encontrados em farmácias e drogarias.

 

De acordo com a resolução, os médicos, odontólogos e veterinários passam a ser responsáveis pela conservação e validade do estoque de amostras mantido no consultório. No caso dos antibióticos, os profissionais deverão entregar ao paciente a quantidade suficiente para o tratamento.

 

O objetivo desta medida é evitar que um tratamento incompleto provoque a resistência dos micro-organismos causadores da infecção, possibilitando o agravamento da doença. As amostras também deverão trazer a expressão "Venda Proibida", segundo a Anvisa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.