Análise de cerâmica mostra transição gradual para a agricultura

Pesquisadores analisaram resíduos em 133 potes de cerâmica do mar Báltico de 4 mil a.C

estadão.com.br,

24 de outubro de 2011 | 17h00

 

SÃO PAULO - A transição da caça e coleta para a agricultura entre humanos foi gradual, é o que mostra a recente análise de 133 potes de cerâmica do mar Báltico, no norte da Europa. Os pesquisadores das Universidades de York e Bradford analisaram resíduos preservados de alimentos nesses vasilhames e apresentaram seus resultados na edição desta segunda-feira, 24, da revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

 

Os cientistas estudaram potes de 15 sítios arqueológicos diferentes, todos datando de cerca de 4 mil a.C. - época das primeiras evidências de animais domesticados e trabalho de agricultura na região. Eles descobriram que a pesca continuou a ser explorada após o advento da agricultura e da domesticação. As cerâmicas analisadas apresentaram resíduos de carbono encontrado em organismos marinhos. 

 

Segundo os autores da pesquisa, a pesquisa também comprova que, embora a agricultura tenha sido introduzida rapidamente na região do mar Báltico, ela muito provavelmente não provocou a mudança radical de hábito que os cientistas acreditavam anteriormente, pois o homem não deixou de pescar ou coletar.

 

Ainda de acordo com os cientistas, esse é o primeiro estudo em grande escala usar a análise molecular para compreender melhor os hábitos alimentares e o uso desse tipo de cerâmica no passado.

Tudo o que sabemos sobre:
arqueologiaagriculturadieta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.