Análise 'indica fortemente' que nova partícula é bóson de Higgs, diz Cern

A análise de traços de uma partícula elementar descoberta no Grande Colisor de Hádrons (LHC), no semestre passado, "indica fortemente" que é o tão esperado bóson de Higgs, informou na quinta-feira o centro de pesquisa física europeu (Cern, na sigla em francês).

Reuters

14 de março de 2013 | 08h09

No comunicado, porém, sobre as recentes descobertas, a partir de vasto volume de dados reunidos durante três anos de colisões no LHC, não afirma ter sido definitivamente descoberto o bóson, que se acredita que dá massa às partículas.

As experiências são realizadas no Grande Colisor de Hádrons, maior e mais poderoso acelerador de partículas do mundo -- um tubo circular de 27 quilômetros de perímetro, enterrado 100 metros abaixo do solo, sob a fronteira franco-suíça.

Dois feixes de energia são disparados em direções opostas, e seu encontro gera milhões de colisões de partículas por segundo, recriando efemeramente as condições ocorridas uma fração de segundo depois do Big Bang.

(Reportagem de Robert Evans)

Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIABOSONINDICIODESCOBERTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.