Unsplash/Joice Kelly
Unsplash/Joice Kelly

Ansiedade tem cura? Saiba o que fazer durante uma crise

A psicóloga clínica e neuropsicóloga Amira Hindi responde a dúvida do leitor Yuri Fraga

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2021 | 05h00

Existe realmente uma cura para a ansiedade? Como eu posso sair de uma crise quando ela acontece? 

Yuri Fraga

São Sebastião

Responde Amira Hindi, psicóloga clínica

Primeiro é preciso entender a ansiedade. Afinal, essa é uma emoção primitiva de sobrevivência, ou seja, todo mundo a tem. Ela é muito importante no sentido de que nos faz ficar atentos diante de uma ameaça. O problema é quando a sua intensidade está desregulada. Então o objetivo, veja, não é curar a ansiedade, mas regularizar a função e o modo como ela trabalha para você. 

Quando disfuncional, ela é considerada patológica. A gente percebe isso por meio de sintomas físicos: sudorese intensa, falta de ar, tremores. E emocionais, como insônia, angústia, dificuldade de concentração e incapacidade de relaxar.

Durante uma crise, esses sintomas todos disparam ao mesmo tempo. Esse “alarme” disparado pelo cérebro acontece diante de uma ameaça - que antes era externo, mas hoje são pensamentos criados na nossa cabeça -, por estarmos hiperfocando naquilo que poderia acontecer de ruim. Então o objetivo é tirar o foco da sensação de perigo. 

Para minimizar a situação, podemos levar os cinco sentidos ao nosso favor: observar as cores, cheiros, barulhos. Isso vai fazer com que pensemos no presente. Outra coisa interessante é a respiração diafragmática: inspire pelo nariz por 4 segundos, segure por 3 e expire por 6 pela boca. Muita gente pensa que o que falta na hora é o ar, mas o que acontece, de fato, é um excesso de oxigênio e você hiperventila. Por isso uma respiração pausada ajuda a acalmar e sair mais rápido dessa crise.

A grande sacada é você começar a perceber os medos e as dúvidas que surgem no inconsciente e questioná-los. Será que eles realmente são reais? Isso é o difícil: sair do automático e perceber que não temos controle sobre o futuro. 

Tudo o que sabemos sobre:
psicologiasaúde mental

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.