Paulo Stefani/PMI Divulgação
Paulo Stefani/PMI Divulgação

Anvisa aponta crescimento de casos de covid de 25 vezes em temporada de cruzeiros no Brasil

Nos últimos nove dias, houve 798 notificações de coronavírus a bordo das embarcações; órgão federal recomendou a suspensão da temporada deste tipo de viagem

Igor Soares, O Estado de S.Paulo

03 de janeiro de 2022 | 21h31

A temporada de cruzeiros, aberta nos últimos meses, já tem indicadores preocupantes e que motivaram a Agência Nacional de Vigilância Sanitária a recomendar a interrupção da navegação de navios deste tipo pelo Brasil. Segundo o órgão federal, houve um crescimento exponencial de casos de covid a bordo entre passageiros e tripulantes. Em 55 dias, até o dia 25 de dezembro, foram 31 notificações. Nos últimos nove dias, foram registrados 798 casos, um aumento de 25 vezes.

A Agência divulgou uma nota técnica na última sexta-feira, 31, recomendando ao Ministério da Saúde a suspensão temporária das viagens de navios no País. “A recomendação da Agência teve como fundamento o aumento vertiginoso dos casos de Covid-19 a bordo das embarcações nos últimos dias, que indica uma mudança radical do cenário epidemiológico”, diz a Agência. 

O órgão regulador federal ressalta que já havia se posicionado pela inviabilidade de viagens em navios de cruzeiros. “Tal mudança repentina e brusca do contexto epidemiológico, provavelmente decorrente do surgimento da variante Ômicron, requer nova avaliação do cenário da pandemia de Covid-19, nos termos da Portaria GM/MS 2.928/2021, que dispõe que a autorização da operação de navios de cruzeiro poderá ser revista a qualquer momento em função dos desdobramentos do contexto epidemiológico dos navios de cruzeiro ou de alterações do cenário epidemiológico nacional e internacional (§ 1º do art. 15).”

Segundo a Anvisa, em reunião nesta segunda-feira, 3, com representantes do Ministério da Saúde, Estados e municípios foram unânimes em apoiar a orientação da Agência. “As recomendações e ações por parte da Agência foram pautadas em critérios técnicos e sanitários, a partir das melhores evidências disponíveis e com fundamento no princípio da precaução, com a finalidade de reduzir o risco de ocorrência de agravos à saúde.”

Nesta segunda-feira, os passageiros do Costa Diadema desembarcaram no porto de Santos, no litoral paulista. Outros dois navios também tiveram registros de coronavírus a bordo. O MSC Splendida atracou em Santos, enquanto o Preziosa - que também pertence à mesma empresa - desembarcou os passageiros no Rio no domingo, 2.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.