REUTERS/Jennifer Lorenzini
REUTERS/Jennifer Lorenzini

Anvisa autoriza importação excepcional com condicionantes da Sputnik V por mais sete Estados

Imunizante poderá ser aplicado apenas em adultos, sem comorbidade e ainda não vacinados, e em até o máximo de 1% da população de cada Estado

Eduardo Gayer, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2021 | 05h23

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação excepcional da vacina contra a covid-19 Sputnik V, de origem russa, por mais sete Estados brasileiros: Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Amapá, Paraíba e Goiás. O aval foi dado com as mesmas condicionantes estabelecidas para Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí, unidades da federação que conseguiram a mesma autorização excepcional no último dia 4.

Entre as restrições impostas pela Anvisa está a limitação de se utilizar o imunizante apenas em adultos, de 18 a 60 anos, sem comorbidade e ainda não vacinados, e em até o máximo de 1% da população de cada Estado. A agência vai monitorar os resultados e pode suspender a autorização a qualquer momento. Ainda faltam informações sobre qualidade, eficácia e segurança da Sputnik V, o que impossibilita, neste momento, a autorização para uso emergencial, como tem a CoronaVac, ou a conquista do registro definitivo, já obtido pelas vacinas da Pfizer e da AstraZeneca/Oxford.

Considerando o limite de aplicação da Sputnik em 1% da população neste momento, cada Estado poderá importar as seguintes quantidades:

 - Rio Grande do Norte: 71.000 doses;

 - Mato Grosso: - 71.000 doses;

- Rondônia: 36.000 doses;

- Pará: 174.000 doses;

- Amapá: 17.000 doses;

- Paraíba: 81.000 doses;

- Goiás: 142.000 doses.

 As informações constam em comunicado oficial publicado no site da Anvisa.

Tudo o que sabemos sobre:
vacinacoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.