Ronaldo Schemidt/AFP
Ronaldo Schemidt/AFP

Anvisa autoriza testes clínicos de mais uma vacina contra a covid-19

Imunizante é desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sichuan Clover e deve envolver 12,1 mil voluntários no País

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2021 | 14h33

SÃO PAULO - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou na sexta-feira, 16, os testes clínicos de uma nova candidata a vacina contra a covid-19. O pedido foi feito pela farmacêutica chinesa Sichuan Clover Biopharmaceuticals.

De acordo com a agência, o pedido de autorização refere-se às fases 2 e 3 do estudo clínico e deverá envolver 12.100 voluntários em três Estados brasileiros: Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Rio de Janeiro.

A farmacêutica chinesa pretende realizar os testes do produto em outros países da América Latina, além da África do Sul, Bélgica, China, Espanha, Polônia e Reino Unido.

 "Para esta autorização, a Anvisa analisou os dados das etapas anteriores de desenvolvimento dos produtos, incluindo estudos não clínicos in vitro e em animais, bem como dados preliminares de estudos clínicos em andamento. Os resultados obtidos até o momento demonstraram um perfil de segurança aceitável das vacinas candidatas", informou a Anvisa, em nota.

De acordo com a agência, para a aprovação do ensaio clínico, a Anvisa realizou reuniões com a equipe da Sichuan Clover Biopharmaceuticals para "alinhar todos os requisitos técnicos necessários para os testes".

Trata-se do sexto estudo de vacina contra o novo coronavírus autorizado pela Anvisa no País. No ano passado, foram aprovados os testes dos imunizantes da Universidade de Oxford/Astrazeneca, Sinovac/Instituto Butantan, Pfizer e Janssen (Johnson & Johnson), todas já com registro definitivo ou autorização para uso emergencial no País. Em 8 de abril deste ano, a agência autorizou a pesquisa da vacina feita em parceria da canadense Medicago R&D Inc com a britânica GSK.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.