Anvisa exige que fabricantes testem eficácia de vacinas contra variante Ômicron

O órgão regulador informou em nota nesta quarta-feira, 1º, que pediu informações sobre andamento de estudos; dados iniciais devem estar disponíveis nas próximas semanas

Bruno Luiz - O Estado de S. Paulo

Ver mais

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pediu que fabricantes testem o desempenho de vacinas contra a nova variante Ômicron do coronavírus.

O órgão regulador informou em nota nesta quarta-feira, 1º, que solicitou a Pfizer, Butantan, Fiocruz e Janssen informações sobre os estudos em andamento para avaliar o impacto de novas cepas na eficácia e na efetividade dos imunizantes. A previsão da agência é de que dados das avaliações iniciais estejam disponíveis nas próximas semanas.

Continua após a publicidade

Fachada do prédio da Anvisa; Órgão regulador federal pediu informações sobre os estudos em andamento para avaliar o impacto de novas cepas na eficácia e na efetividade dos imunizantes Foto: Mariana Leal/Anvisa

A Anvisa disse também atuar junto a autoridades internacionais e às empresas envolvidas para permitir que as atualizações nas vacinas, caso necessárias, "sejam realizadas com agilidade, mantendo o perfil de qualidade, eficácia e segurança."

"A Anvisa exige, para as vacinas autorizadas, que os desenvolvedores monitorem e avaliem o impacto das variantes na eficácia e na efetividade dos imunizantes. É preciso observar, porém, que esses estudos demandam tempo, uma vez que é preciso obter informações genéticas e amostras de pacientes para então realizar os testes e a análise", disse.

A agência lembrou que as vacinas atuais permanecem efetivas na prevenção contra a covid-19, evitando casos graves e morte. "O momento é de cautela. A melhor coisa que a população pode fazer é ser vacinada ou receber o reforço do imunizante e manter as medidas de prevenção, como o uso de máscara, a higienização das mãos e o distanciamento social", frisou a agência reguladora.

Variante do coronavírus tem grande número de mutações

Uma nova variante do coronavírus detectada na África do Sul tem 50 mutações, incluindo 32 alterações na proteína Spike que infecta as células hospedeiras e é o alvo da maior parte das vacinas contra a Covid

Fonte: Africa Centres for Disease Control, Nature, Thermo Fisher, Graphic News

 

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Anvisa exige que fabricantes testem eficácia de vacinas contra variante Ômicron

O órgão regulador informou em nota nesta quarta-feira, 1º, que pediu informações sobre andamento de estudos; dados iniciais devem estar disponíveis nas próximas semanas

Bruno Luiz - O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Atualizamos nossa política de cookies

Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.