Divulgação
Divulgação

Anvisa fecha fábrica clandestina de próteses dentárias e ortopédicas em SP

Fábrica funcionava em Valinhos sem autorização e fiscais constataram que fazia cópias de peças e nomes de fabricantes licenciados

Divulgação
Divulgação
Isabela Palhares, O Estado de S. Paulo

21 de dezembro de 2016 | 15h46

SÃO PAULO  - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária interditou nesta terça-feira, 20, uma fábrica clandestina de implantes dentários, implantes ortopédicos e de instrumental médico. A fábrica funcionava em Valinhos, no interior de São Paulo, sem autorização de funcionamento e a produção ocorria sem cuidados de higiene. 

A Anvisa informou que, como a fabricação desse tipo de produto sem autorização é considerada crime, o proprietário da fábrica foi levado para prestar esclarecimentos à polícia. Além da fabricação ilegal, os fiscais constataram que a empresa também fazia cópias de peças e de nomes de fabricantes licenciados. 

Segundo a Anvisa, esta iniciativa de fiscalização tem acontecido no país para coibir a venda e o uso de produtos para saúde irregulares e que podem colocar em risco a saúde dos seus usuários.

A Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos (Abimo) informou que, dos mais de 2 milhões de implantes feitos no país, 30% são feitos com produtos fabricados de forma clandestina. "A prática pode causar danos à saúde dos pacientes que vão desde rejeição do implante até inflamações infecções graves, não apenas na boca", informou em nota.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.