Anvisa manda recolher Prexige 100 mg das farmácias

Quem comprou o antiinflamatório Prexige já pode, desde a última sexta-feira, pedir reembolso

da Redação,

28 de julho de 2008 | 13h27

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou o recolhimento do medicamento Prexige (Lumiracoxibe) de 100 miligramas das farmácias brasileiras.   De acordo com a Resolução n.º 2.608, publicada na edição desta segunda-feira, 28, do Diário Oficial da União, a medida é de interesse sanitário.   Segundo informações da Anvisa, prestadas na última terça-feira, 22, quando proibiu a venda do produto, o laboratório fabricante Novartis terá que apresentar um cronograma de recolhimento do medicamento das farmácias. Uma eventual desobediência se caracteriza como infração sanitária e pode acarretar multa.    Quem comprou o antiinflamatório Prexige de 100 miligramas já pode, desde a última sexta-feira, 25, pedir reembolso do valor pago pelo remédio, em qualquer farmácia do País. A oferta de reembolso também vale para o Prexige 400 mg, embora sua venda tenha sido apenas suspensa por 90 dias, e não proibida.   A proibição e suspensão do medicamento, de acordo com nota da Anvisa, é motivada pelas "incertezas a respeito da segurança hepática" (relativa ao fígado), e acompanha as decisões dos principais órgãos internacionais reguladores do mercado de medicamentos.   A proibição do produto ocorre após o País acumular 35% dos 3.585 casos de efeitos adversos notificados em todo mundo no uso do medicamento. Até a semana passada, o Brasil era uma das sete nações que ainda mantinham a vigência da autorização do Prexige. Ao todo, 36 países proibiram a venda, por causa dos riscos.

Tudo o que sabemos sobre:
prexigeanvisanovartis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.