Anvisa mantém remédio contra obesidade no mercado

Parecer técnico diz que efeitos adversos da sibutramina estão dentro do limite aceitável

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

27 de maio de 2013 | 17h51

A sibutramina vai continuar no mercado. Relatório da equipe técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) votado nesta segunda-feira, 27, mostra que o número de efeitos adversos está dentro do limite considerado adequado e não houve abuso da prescrição - resultados que não justificariam a suspensão da comercialização do produto.

Desde dezembro de 2011, a sibutramina, indicada para tratamento de obesidade, tem regras mais rígidas para prescrição. Os efeitos colaterais também são acompanhados. A regra determinou que a sibutramina somente pode ser vendida quando o paciente é informado pelos médicos sobre riscos e contraindicações. Um termo de esclarecimento, assinado pelo paciente e pelo médico, é exigido. Uma das vias tem de ser entregue com receita médica.

A validade da receita, que antes era de 60 dias, foi reduzida para um mês. Também foi determinado que a sibutramina ficaria sob monitoramento durante um ano. É o resultado desse monitoramento que a Anvisa agora vai avaliar.

Tudo o que sabemos sobre:
sibutraminaobesidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.