Anvisa proíbe composto contaminado Neo Zinc

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu de maneira preventiva a fabricação, comercialização e uso de todos os lotes do medicamento Neo Zinc, da empresa Inpharma Laboratórios, com sede em Barueri (SP). O produto é um composto de uso hospitalar, à base de zinco, usado em bolsas de alimentos com aplicação na veia. suspensão foi determinada depois que a Rede Nacional para Investigação de Surtos e Eventos Adversos em Serviços de Saúde (Reniss) identificou infecções nas bolsas que continham Neo Zinc, a partir de notificações de hospitais de São Paulo e Paraná. A empresa fabricante explicou que houve contaminação microbiológica de um lote, mas que este havia sido recolhido em dezembro.

Agencia Estado,

12 de janeiro de 2006 | 09h15

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.