Anvisa quer restringir venda e propaganda de clareadores dentais

Se regra for aprovada, produtos considerados mais fortes precisarão de receita para serem comercializados

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

25 Março 2014 | 19h28

BRASÍLIA - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) quer restringir a venda e a propaganda de clareadores dentais. Proposta de resolução que vai a consulta pública a partir desta quarta-feira, 26, prevê que produtos que tenham uma concentração superior a 3% de peróxido de hidrogênio e a peróxido de carbamida passem a ser comercializados somente mediante a apresentação de receita. Peças publicitárias sobre produtos somente poderão ser apresentadas para prescritores, os dentistas.

Produtos que apresentam concentração inferior a 3% - a maior parte encontrada em farmácias - não estão sujeitos a essas regras. Pelo texto, a venda e a publicidade continuam liberadas.

A Anvisa decidiu discutir regras para a venda dos produtos depois de um pedido feito pelo Ministério Público e pelo Conselho Federal de Odontologia. O gerente-geral de tecnologia de produtos da saúde da Anvisa, Joselito Pedrosa, afirmou haver relatos de abusos relacionados ao produto. "Ele não é inofensivo. Vários efeitos adversos foram relatados, de problemas na gengiva à perda dos dentes", afirmou.

Produtos com concentração superior a 3% são vendidos geralmente em farmácias especializadas em produtos dentais e distribuidoras. "Mas muitos recorrem a esses estabelecimentos e compram os clareadores por conta própria."

O texto da resolução deverá ficar em consulta pública por 60 dias.

Mais conteúdo sobre:
Clareadores dentais

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.