DIVULGAÇÃO/MARCELO MARTINS/PREFEITURA DE SANTOS
DIVULGAÇÃO/MARCELO MARTINS/PREFEITURA DE SANTOS

Anvisa suspende cruzeiro após surto de covid

Navio Costa Diadema deverá retornar ao Porto de Santos, onde todos os passageiros e tripulantes devem desembarcar

Cristiane Segatto, O Estado de S.Paulo

31 de dezembro de 2021 | 13h45

Após a confirmação de 68 casos de covid-19 entre passageiros e tripulantes do navio Costa Diadema, da Costa Cruzeiros, que ficou atracado em Salvador, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu as atividades da embarcação. O navio deverá retornar ao Porto de Santos, onde todos os passageiros e tripulantes devem desembarcar. A agência determinou ainda que o Costa Diadema permaneça em quarentena e não realize novas operações.

O passeio previsto para durar até 3 de janeiro foi interrompido, assim como a programação a bordo. A Anvisa determinou que, até o desembarque completo dos viajantes no destino final, em Santos, todos os embarcados devem reforçar a atenção quanto aos protocolos de redução do risco de transmissão do Sars-CoV-2.

Os passageiros que testaram positivo para covid-19 ficarão em isolamento em hotéis já reservados pela operadora do cruzeiro. Moradores da cidade de Salvador também foram autorizados a desembarcar na capital baiana.

Segundo a Anvisa, a grande maioria dos passageiros que testaram positivo para covid-19 é assintomática. Apenas algumas pessoas apresentam sintomas leves. Após o desembarque em Santos, todos os passageiros devem ser testados. 

De acordo com uma investigação epidemiológica conduzida pela agência, há transmissão comunitária da doença a bordo. A saída do Costa Diadema do Porto de Santos só poderá ocorrer após uma avaliação do cenário epidemiológico e nova manifestação da Anvisa.

MSC Splendida

Outro navio, o MSC Splendida, permanece atracado no Porto de Santos (SP), após a ocorrência de casos positivos de covid-19 em 51 tripulantes e 27 passageiros. Outras 54 pessoas tiveram contato com eles. Todos receberam permissão de desembarque em veículos específicos e seguem em monitoramento pelas autoridades sanitárias. /COLABOROU IANDER PORCELLA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.