Apaixonado por pipoca processa empresas por danos ao pulmão

Americano teria inalado os vapores amanteigados das pipocas de microondas diariamente durante anos

Agências internacionais,

16 de janeiro de 2008 | 15h39

Wayne Watson, de Centennial, Colorado, foi diagnosticado com uma rara doença de pulmão, também conhecida como "pulmão de pipoca". O órgão de Watson foi danificado por uma substância que confere sabor à manteiga. Ele teria inalado os vapores amanteigados das pipocas de microondas diariamente durante anos.   Watson está movendo uma ação contra as empresas responsáveis pelo produto e alega que as companhias falharam ao não avisar que o aroma da manteiga da pipoca de microondas poderia causar algum dano ao pulmão do consumidor.   Anteriormente, a substância só havia prejudicado os trabalhadores das fábricas de pipoca, que lidam diariamente com grandes quantidades da substância.   Centenas de trabalhadores afirmaram ter doenças de pulmão devido às condições de trabalho e também moveram ações contra as companhias que produzem ou utilizam a substância.   No mês passado, as quatro maiores empresas dos EUA que fabricam pipoca de microondas anunciaram que reformulariam suas receitas para remover a substância de todos os produtos.

Tudo o que sabemos sobre:
pipocadoençapulmão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.