Arte sobre foto de Tiago Queiroz/Estadão
Arte sobre foto de Tiago Queiroz/Estadão

Apenas SP tem mais de 50% da população com dose de reforço ou adicional contra covid

Vacinação estagnada reflete em alta de novos casos e mortes por coronavírus, aponta Fiocruz

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2022 | 20h46

A vacinação contra covid no Brasil segue em ritmo lento quando olha-se para os números da dose de reforço ou adicionais. A Fiocruz já alertou sobre a estagnação refletir no aumento de casos e mortes. Entre os 26 estados e o Distrito Federal, apenas em São Paulo a campanha alcançou mais da metade da população total com a terceira ou quarta aplicação, com 60,86% de vacinados. A média no País é de 43,28%.

Boletim InfoGripe Fiocruz, divulgado nesta quarta-feira, 1º, aponta tendência de alta de novos casos da enfermidade pela terceira semana consecutiva. 

Imunizados com a terceira injeção contra a covid somam 92.980.330 até as 20 horas desta terça-feira, 31, e o mesmo horário desta quarta-feira, 1º. Em relação à quarta aplicação, são 3.531.863. Muitos Estados já liberaram a vacinação com dose de reforço para adolescentes que completaram 4 meses do ciclo vacinal primário.

Este ciclo encerra-se quando o indivíduo toma a primeira dose e a segunda, ou a dose única. Referente à 2ª ou dose única, o País já imunizou 166.188.959 da população total, o equivalente a 77,36%. Quando à primeira, 178.509.073 de pessoas estão vacinadas, ou 83,09%.

Ao considerar a vacinação pediátrica (para crianças de 5 a 11 anos), o País já imunizou 12.457.066, o que corresponde a 60,77% deste público.

Nas últimas 24 horas, o País administrou 1.715.092 doses de vacinas, de acordo com os dados do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h. Até este horário 25 Estados haviam informado dados sobre vacinação.

O balanço da campanha de vacinação contra a covid é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho de 2020, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Em termos proporcionais, Piauí é o Estado que mais vacinou sua população até aqui: 93,30% dos habitantes receberam ao menos a primeira dose. O Estado de Roraima apresenta o percentual mais baixo de indivíduos vacinados com uma dose: 62,27%. Em números absolutos, o maior número de vacinados com a primeira dose está em São Paulo (42 milhões), seguido por Minas Gerais (17 milhões) e Rio de Janeiro (14 milhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.