Após 4 anos, São Paulo registra malária em Marsilac

Após quatro anos, a cidade de São Paulo voltou a registrar casos de malária. A região afetada foi Engenheiro Marsilac, extremo da Zona Sul, onde há reserva de Mata Atlântica que abriga o mosquito anófeles, transmissor do protozoário que causa a doença. Desde o início do mês, pelo menos oito pessoas tiveram diagnóstico positivo em Marsilac. A Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) diz que não há motivos para pânico porque o mosquito transmissor da malária não vive em centros urbanos. "É uma doença de regiões silvestres, disse Carlos Magno Fortaleza, infectologista e diretor da Sucen. "No Brasil, é comum na Amazônia. Por isso esses casos daqui não representam risco nenhum para o município de São Paulo". Segundo Fortaleza, uma das pessoas contaminadas pela doença é uma bióloga. A moça fazia um passeio na região. Ela se hospedou numa chácara em Marsilac. A bióloga foi para o Hospital das Clínicas e já está em casa. De acordo com o infectologista, os últimos registros de malária na Capital foram em 2002, também em Marsilac, e em 1994, na região de Parelheiros, também no extremo Sul. Ele explicou que a doença se apresenta de duas formas: uma leve e benigna, e outra com quadro grave. No caso de Marsilac, os casos são benignos. Apesar disso, a Sucen e a Prefeitura passaram a treinar agentes de saúde da região. A líder comunitária Maria Lúcia Cirillo lamenta a volta da doença, pois Marsilac é um pólo turístico em São Paulo. "Passamos a tomar alguns cuidados como usar repelente e colocar tela nas janelas das casas." Maria Lúcia diz que nos próximos dias a Sucen deve distribuir folhetos explicativos sobre a malária. "Existe uma preocupação muito grande. A malária está aparecendo e todos os que moram aqui estão arriscados a pegar", diz. Segundo a líder comunitária, mais de 10 mil pessoas vivem em Marsilac, além da população flutuante. Ela explicou que diante de qualquer suspeita as pessoas são orientadas a fazer exames nos postos de saúde da região.

Agencia Estado,

30 de maio de 2006 | 10h28

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.