Kamil Krzaczynski/AFP
Kamil Krzaczynski/AFP

Após atraso, lote com 1,5 mi de doses da vacina da Janssen chega ao Brasil

País recebe metade da quantidade esperada para o mês; previsão inicial era adquirir 3 milhões de doses no último dia 15

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

22 de junho de 2021 | 11h05

SÃO PAULO - O primeiro lote da vacina da Janssen contra a covid-19 chegou na manhã desta terça-feira, 22, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Nesta remessa, que atrasou uma semana após a suspensão do envio de 3 milhões de doses, veio a metade das doses previstas do imunizante da farmacêutica da Johnson & Johnson, totalizando 1,5 milhão de doses.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, acompanhou a chegada do lote e agradeceu a entrega do medicamento, destacando as tratativas para aquisição como um "acerto" do Ministério da Saúde na tentativa de ampliar o acesso à vacinação. No início deste mês, a pasta havia anunciado que tinha fechado acordo com a farmacêutica para a aquisição de 38 milhões de doses de vacina. A previsão de entrega é de 16,9 milhões de doses entre julho e setembro e de 21,1 milhões de outubro a dezembro.

Queiroga destacou que as tratativas com a Johnson & Johnson culminaram em uma relação de custo "muito favorável" para o sistema de saúde brasileiro. De acordo com o ministro, as negociações resultaram em uma redução de 25% do preço originalmente tratado com a farmacêutica. "Isso corresponde a uma economia de R$ 480 milhões, que é muito importante para ampliar o acesso dos brasileiros", declarou.

O presidente da Jansen no Brasil, Roy Benchimol, prestou solidariedade à população brasileira "impactada pela covid-19" e aos trabalhadores da saúde que atuam na linha de frente. "Estamos muito emocionados e sabemos que isso vai ajudar muito a combater a pandemia no País", afirmou Benchimol.

A vacina da Janssen recebeu aprovação para uso emergencial no Brasil da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em março deste ano. O imunizante tem o diferencial de ser aplicado em dose única, algo considerado positivo para acelerar o processo de vacinação da população.

No último dia 12, Queiroga, anunciou que 3 milhões de doses chegariam ao País no dia 15 de junho, mas o envio foi cancelado. Nessa segunda-feira, 21, ele fez o anúncio da remessa que chegou nesta manhã.

Prazo de validade curto

Em depoimento à CPI da Covid no Senado no último dia 8, Queiroga informou que o lote com 3 milhões de vacinas contra covid-19 da Janssen chegaria com prazo de validade curto, com vencimento em 27 de junho.

No último dia 14, a Anvisa anunciou a aprovação da extensão do prazo de validade do imunizante de três para quatro meses e meio, sob condições de armazenamento de 2º a 8º C. A agência reguladora norte-americana Food and Drug Administration (FDA, na sigla em inglês) deu o aval pela extensão no prazo no último dia 10.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.