Reprodução/ Ministério da Saúde
Reprodução/ Ministério da Saúde

Após decisão do STF, Saúde volta a mostrar total de mortos e infectados

Ministério chegou a retirar o site na última sexta, 5; portal retornou no dia seguinte apenas com dados de curados da doença e novos casos e óbitos; todas as demais informações históricas da doença foram omitidas

Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2020 | 18h58

BRASÍLIA - O Ministério da Saúde voltou a apresentar, na tarde desta terça-feira, 9, o número total de mortos e infectados pela covid-19 no portal "covid.saude.gov.br", que apresenta informações oficiais do governo federal sobre a pandemia.

Na segunda-feira, 8, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou a pasta recolocar estes dados no ar, além de informações sobre a curva de notificações da doença no País.

O ministério chegou a retirar o site na última sexta-feira, 5. O portal retornou no dia seguinte apenas com dados de curados da doença e novos casos e óbitos. Todas as demais informações históricas da doença no País foram omitidas da população.

Mudanças na forma de apresentar dados da covid-19 pelo ministério geraram forte reação negativa. A pasta atrasou a divulgação do boletim diário por quatro dias na última semana. Bolsonaro chegou a comemorar a medida, afirmando que “acabou a matéria no Jornal Nacional” sobre a doença, telejornal da TV Globo, e cobrou que sejam divulgados apenas os números de pessoas que morreram naquele dia.

O ministério promete agora lançar novo portal de dados da covid-19. Apesar de Bolsonaro cobrar a divulgação apenas de óbitos que ocorreram no dia, o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta terça-feira, 9, que as vítimas de outras datas, mas que aguardavam confirmação da causa da morte, também devem ser divulgadas.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.