Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Reprodução/ Youtube
Reprodução/ Youtube

Após liberação do STF, Basílica de Aparecida realiza missa de Páscoa com presença de 150 fiéis

Diversas igrejas pelo Brasil também promoveram aglomerações, com exceção da Sé, em SP, que realizou missa apenas online

João Prata, O Estado de S.Paulo

04 de abril de 2021 | 11h38

A Basílica de Aparecida realizou na manhã deste domingo, 4, missa de Páscoa com a presença de público. De acordo com o Santuário Nacional, cerca de 150 fiéis estiveram na celebração, todos de máscaras, sentados e com distanciamento. Haverá ainda outras duas missas no local ao longo do dia, ambas terão presença de público e também serão transmitidas ao vivo pelas redes sociais.

As pessoas só puderam assistir presencialmente por causa da decisão liminar do ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF) que desde o último sábado vetou a proibição feita por Estados e municípios de celebrações religiosas presenciais.

A decisão limita a ocupação de 25% da capacidade total, mas destoa de outras decisões tomadas pelo STF, como a que garantiu autonomia para que governadores e prefeitos decretem medidas de isolamento. A assessoria de imprensa do Santuário Nacional informou que o templo pode receber hoje mil pessoas, de um total de 35 mil possíveis.

Em São Paulo, o decreto que vetou atividades religiosas coletivas foi editado após recomendação do procurador-geral de Justiça, Mario Sarrubbo em 9 de março. Membros do gabinete de crise da covid-19 instituído no Ministério Público paulista consideraram a medida ‘imprescindível’ em razão do aumento do número diário de pessoas infectadas, de internações e de mortes por covid-19.

Igreja da Sé sem público

A Igreja da Sé, no centro de São Paulo, respeitou a determinação feita pelo governo. Por causa do agravamento da pandemia, a missa deste domingo não teve a participação de fiéis e foi transmitida pelas redes sociais. Também por causa da emergência sanitária, a liturgia da missa foi simplificada. Em vez das habituais sete leituras do Antigo Testamento, seguidas de salmos e orações, que recordam a história da salvação do povo de Deus, este ano, foram proclamadas apenas três.

Outras igrejas

A Sé foi uma exceção entre as igrejas. Muitas, assim como a Basílica de Aparecida, permitiram a presença das pessoas. Apesar de haver transmissão pela internet, alguns fiéis ignoraram decretos estaduais e municipais e se arriscaram. O Estadão registrou quatro delas, uma em São Paulo, duas no Rio de Janeiro e outra em Curitiba. 

A Igreja Presbiteriana de Pinheiros, na capital paulista, comemorou o retorno dos fiéis. "Pela graça do bondoso Deus, estamos reunidos novamente em seu santo templo. Ao cordeiro que foi morto, mas ressuscitou, seja a honra, glória, força e todo louvor. Ainda teremos mais três celebrações neste domingo."

Na Igreja Cara de Leão, no Rio de Janeiro, pastoras aglomeraram no palco sem uso de máscara. No Rosário de Fátima, também na capital fluminense, fiéis se acomadaram em cadeiras com distanciamento, e utilizaram máscaras. Em Curitiba, na missa do Padre Reginaldo Manzotti, os fiéis também se acomodaram distante um dos outros e utilizaram máscara.

A cartilha da Fiocruz para celebração de Páscoa era para que todos ficassem em casa. A instituição lembra que, apesar de todos os protocolos sanitários, qualquer pessoa que tenha contato com outros estará exposta a diferentes níveis de contágio.  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.