Estadão
Estadão

Após pedido de prisão de ministro e secretário, canabidiol é entregue

Remédio derivado da maconha é usado no tratamento de crianças e adolescentes, que, desde o início do ano, estavam sem o produto

RENE MOREIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO

08 Abril 2016 | 18h33

FRANCA - Um dia após o Ministério Público Federal (MPF) pedir a prisão de um ministro e um secretário de Estado, o governo paulista entregou o canabidiol para pacientes de Marília (SP). Desde o início deste ano, eles estavam sem o medicamento, que é derivado da maconha e foi obtido via judicial.

Nesta sexta-feira, 8, o remédio, que é importado, foi entregue pela Secretaria de Saúde de São Paulo aos doentes que haviam ingressado na Justiça. Ele é utilizado por crianças e adolescentes que sofrem com encefalopatia epiléptica e com a síndrome de lennox-gastaut.

Nesta quinta, 7, o MPF havia protocolado na Justiça pedido de prisão do ministro da Saúde, Marcelo Castro, e também do secretário da Saúde de São Paulo, David Uip. O motivo foi justamente a falta do cumprimento da decisão judicial que mandava fornecer o canabidiol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.