Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Após prorrogar quarentena, SP tem fim de semana com pior taxa de isolamento

Nº de mortes chega a 3.743 em cidades paulista; no último domingo, apenas 53% da população paulista ficou em casa, ante 58% em semanas anteriores

Tulio Kruse e Paloma Cotes, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2020 | 14h04

As cidades do Estado de São Paulo tiveram, entre o último sábado e domingo, o pior índice de isolamento social para fins de semana desde o início da quarentena. No último domingo, apenas 53% da população paulista ficou em casa, mesmo após o governo estadual ter prorrogado o fechamento de comércios não essenciais até o fim do mês, e alertado que o contágio do novo coronavírus tem aumentado numa velocidade acelerada. Um dia antes, metade da população circulou nas ruas, o pior índice para um sábado

Os dados são do sistema de monitoramento do governo de São Paulo. Com base em informações de georreferenciamento de celulares, o sistema mede quantas pessoas percorrem distâncias maiores do que 200 metros. Entre esta segunda-feira e o domingo, foram confirmadas 34 mortes por coronavírus em todo o Estado de São Paulo. O total de óbitos chegou a 3.743, e há 46.131 casos confirmados da doença. 

Nesta segunda-feira, 11, o governador João Doria (PSDB) encerrou sua coletiva de imprensa diária, no Palácio dos Bandeirantes, com um apelo para que a população fique em casa. 

"Respeitem as regras do isolamento. Só saiam em caso de extrema necessidade, ou de atividades essenciais ou atividades autorizadas", disse Doria. Ele também lembrou a obrigatoriedade do uso de máscaras e a possibilidade de multa para quem desrespeitar a norma. "A maioria expressiva das pessoas está usando máscaras no transporte público, no seu deslocamento e também ao chegar aos locais de trabalho."

Nos quatro fins de semana anteriores, a taxa de isolamento havia se mantido entre 58% e 59% aos domingos, ou seja, de cinco a seis pontos porcentuais acima do índice visto no último domingo. Aos sábados, o isolamento variou entre 51% e 55%, mas ficou em 50% desta vez. A taxa de isolamento social costuma subir nos fins de semana, mas o índice vem caindo e tem ficado abaixo de 50% em dias de semana. 

Mortes

O número de mortes confirmadas entre domingo e segunda, de apenas 34 mortos ficou abaixo da média da semana. Entre sexta e sábado, 101 mortes foram confirmadas. Autoridades de saúde brasileiras, no entanto, já disseram que os registros caem nos fins de semana e feriados, quando serviços de notificações de infectados e vítimas não funcionam em alguns locais. 

O número de infectados hoje é 5,4 vezes maior do que um mês atrás, quando eram 8.381, segundo o governo estadual. O número de cidades paulistas com óbitos e casos quase triplicou no período. 

As autoridades estaduais, com base nas projeções do Centro de Contingência para a Covid-19, têm alertado que o aumento da circulação de pessoas nas ruas tem aumentado o número de infectados e mortes pela doença. Com o avanço do coronavírus no interior e uma alta preocupação com o número de UTIs disponíveis, o governo tem alertado que a reabertura econômica deve demorar mais à medida em que o isolamento está abaixo do esperado. 

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.