Divulgação/PM Presidente Prudente
Divulgação/PM Presidente Prudente

Após reabertura, Presidente Prudente vive escalada de casos da covid-19

Dezessete mortes foram confirmadas no município desde o dia 8 de abril

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2020 | 16h32

SOROCABA - Presidente Prudente, cidade de 223.749 habitantes, no oeste paulista, registrou a primeira morte pela covid-19 no dia 8 de abril. Mais de dois meses depois, em 13 de junho, foi registrado o 12° óbito, média de um a cada 5,5 dias. Nos últimos 11 dias, até esta quarta-feira, 24, foram mais cinco óbitos, média de um a cada 2,2 dias. O aumento na frequência das mortes coincide com a reabertura das atividades econômicas. Prudente estreou no Plano São Paulo na faixa amarela, a mais flexível usada até agora.

No mesmo período, o número de casos positivos também deu um salto, de 234 para 441. A média passou de 3,3 casos diários desde o primeiro registro, em 4 de abril, para 18,8 novos casos por dia após a reabertura. Nos últimos dias, a cidade vem registrando sucessivos recordes de novos casos. A escalada foi tão grande que, na primeira reavaliação do plano, no dia 10, Presidente Prudente e região foram rebaixadas para a fase vermelha, de maior rigor na flexibilização.

Desde o início do plano, a principal cidade do oeste paulista teve dificuldade para cumprir as regras de isolamento social. Na tabela com os índices de isolamento do governo estadual, Presidente Prudente esteve sempre nas últimas posições entre todos os municípios pesquisados. Quando a cidade passou da faixa amarela para a vermelha, pulando a intermediária – laranja -, os índices de isolamento continuaram praticamente iguais, abaixo da média estadual.

Para o professor Raul Borges Guimarães, especialista em geografia e da saúde da Universidade Estadual Paulista (Unesp), há uma forte relação entre o baixo isolamento social da cidade e o crescimento da transmissibilidade do novo coronavírus. “A situação na região de Presidente Prudente é reflexo da maior flexibilização há 15 dias”, disse. A reportagem apurou que, mesmo com a cidade na faixa vermelha, havia bares e salões de beleza funcionando nesta quinta-feira, 25.

O coronavírus também se espalhou pela região, com a chegada do vírus em pequenas cidades, como Marabá Paulista, com dois casos confirmados nos últimos dias, e Sandovalina, que teve o primeiro caso positivo nesta quinta. O caso é também o primeiro em assentamento rural – o paciente é um assentado da reforma agrária, de 52 anos.  Em Taciba, foram confirmados mais dois casos, totalizando seis. O vírus infectou a secretária da Educação de Dracena, Vanessa Castilho. Em isolamento, ela passa bem.

A prefeitura de Presidente Prudente informou, em nota, que monitora diariamente a evolução dos casos de covid-19, por meio da vigilância epidemiológica municipal. “O aumento das infecções pela doença no município acompanha o cenário de interiorização do vírus que vem sendo observado há algumas semanas no Estado, o que já era previsto pelas autoridades de saúde.” Segundo o município, é necessário que os munícipes redobrem a atenção quanto às medidas de prevenção, inclusive o uso de máscaras e o distanciamento social.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.