Fabio Frustaci/ EFE/ EPA
Fabio Frustaci/ EFE/ EPA

Apple produzirá um milhão de máscaras por semana para profissionais de saúde

Empresa se junta ao grupo de fabricantes que modificaram suas linhas de produção para responder à escassez do equipamento, como Prada, Lamborghini e Renault

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2020 | 01h47

A Apple desenvolveu máscaras para profissionais de saúde e, a partir da próxima semana, poderá produzir um milhão delas semanalmente, anunciou o chefe-executivo do grupo, Tim Cook.

As máscaras irão inicialmente para os Estados Unidos. Elas serão produzidas lá, assim como na China.

O chefe da empresa de tecnologia explicou, em um vídeo publicado em sua conta no Twitter, que as máscaras, em plástico transparente e que cobrem toda a face, foram desenvolvidas pelos "designers de produto do grupo, equipes de engenharia e distribuidores".

Nessa mensagem, Cook também especificou que a Apple já conseguiu entregar 20 milhões de máscaras cirúrgicas por meio de seus distribuidores em todo o mundo.

Empresas modificam linha de produção

O fabricante de computadores e telefones celulares se junta ao grupo de empresas que modificaram suas linhas de produção para responder à escassez de máscaras, como a italiana Prada e Lamborghini.

Também na Itália, Giorgio Armani produz roupas de proteção e, na Espanha, os engenheiros da Renault projetaram viseiras e máscaras que posteriormente foram fabricadas nas impressoras 3D disponíveis em suas fábricas paralisadas.

Nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump ordenou que a montadora General Motors (GM) produzisse respiradores artificiais. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.