Divulgação
Divulgação

Apresentador encontra crânio em reforma e desvenda mistério de 132 anos

Julia Martha Thomas foi assassinada pela própria empregada, Kate Webster, em 1879, mas sua cabeça nunca havia sido encontrada

BBC Brasil, BBC

06 de julho de 2011 | 06h30

A descoberta de um crânio no jardim da casa de um famoso apresentador de TV britânico ajudou a solucionar um mistério que já durava mais de 130 anos.

Após seis meses de investigações, a polícia de Londres anunciou que o crânio encontrado durante uma reforma na casa de David Attenborough, especialista em natureza que narra e apresenta diversos documentários da BBC, pertence à vítima de um crime que ficou conhecido como o "mistério de Barnes", na Era Vitoriana.

Foi necessário usar as mais modernas técnicas forenses para confirmar que a cabeça cortada era de Julia Martha Thomas, assassinada pela própria empregada, Kate Webster, em 1879.

Webster foi condenada pelo crime em seguida e enforcada, mas a cabeça da vítima nunca havia sido encontrada.

Detalhes do crime

O crime ficou famoso na época por causa dos detalhes macabros que foram revelados perante o tribunal.

Thomas, uma viúva de 55 anos, contratou Webster, de 29, como sua empregada em 1879. Webster já havia sido condenada por roubo e fraude anteriormente e a relação entre as duas mulheres teria ficado tensa por causa do alcoolismo da empregada.

Segundo os detalhes revelados durante o julgamento, no dia 2 de março daquele ano, a patroa havia voltado da missa de domingo e elas tiveram uma discussão. Bêbada, Webster empurrou a patroa escada abaixo e a estrangulou.

Então, usando uma faca de cozinha, uma lâmina e um serrote de carne, ela desmembrou o corpo e ferveu as partes, oferecendo a "sopa" a crianças locais como caldo de toucinho.

Testemunhas teriam falado do "forte fedor" vindo da casa.

Os demais restos mortais de Thomas foram colocados em uma caixa de madeira e jogados no rio Tâmisa, mas a cabeça e um dos pés não couberam. Webster teria então jogado o pé em um terreno próximo e enterrado a cabeça no jardim da casa de Thomas.

Dias depois do crime, a caixa contendo "um grande volume de carne branca" foi encontrada sob a ponte de Barnes, o que rendeu ao caso o nome de "mistério de Barnes".

Condenação

Depois do assassinato, Webster assumiu a identidade da patroa e levou o dinheiro e as joias da viúva com ela. Em julho do mesmo ano, ela foi condenada pelo crime e enforcada, mesmo sem ter sido possível fazer uma identificação formal da vítima, já que a cabeça não foi encontrada.

A conclusão do mistério só veio mais de 130 anos depois, com a descoberta do crânio durante uma obra de ampliação da casa do apresentador David Attenborough.

Depois do inquérito, a análise do crânio concluiu que Thomas morreu por asfixia e pancadas na cabeça.

"Este é um caso fascinante e um bom exemplo de como um trabalho de detetive à moda antiga, registros históricos e avanços tecnológicos foram usados em conjunto para resolver o 'mistério de Barnes'", disse Clive Chalk, superintendente de polícia de Richmond, no sul de Londres. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
attenboroughcraniomisteriobarnescrime

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.