Ar poluído pode desencadear apendicite, diz estudo

O total de casos de apendicite cresceu dramaticamente nos países industrializados no século 19

Reuters,

05 de outubro de 2009 | 19h28

Exposição por curtos períodos a ar poluído pode causar apendicite em adultos, provavelmente porque os poluentes causam reações inflamatórias, diz um estudo canadense publicado nesta segunda-feira, 5.

 

Especialistas consideram ranking de emissões incompleto

 

Pesquisadores descobriram que as pessoas expostas a dióxido de nitrogênio por uma semana durante junho, julho e agosto - quando os níveis dos poluentes atingem o grau máximo no hemisfério norte - têm quase duas vezes mais chance de manifestar a condição potencialmente letal do que pessoas que não sofreram a exposição.

 

Os com mais de 64 anos tiveram quase quatro vezes mais chance de desenvolver apendicite, nas mesmas condições.

 

Dióxido de nitrogênio é produzido mais comumente por automóveis, e causa mais problemas de saúde durante os meses do verão.

 

A equipe canadense, liderada pelo médico Gilaad Kaplan, da Universidade de Calgary, estudou o caso de 5.191 pessoas que deram entrada com apendicite em três hospitais de Calgary durante um período de sete anos.

 

Kaplan disse que 52,5% do total de hospitalizações ocorreu de abril a setembro, os meses mais quentes do ano no Canadá, quando é mais provável que as pessoas estejam na rua.

 

A ligação entre apendicite e poluição atmosférica ficou mais marcada no sexo masculino, possivelmente porque mais homens que mulheres trabalham ao ar livre.

 

A maioria dos especialistas acredita que a apendicite é causada pela obstrução do apêndice, mas a equipe de Kaplan diz que a teoria não explica as variações históricas da doença.

 

O total de casos de apendicite cresceu dramaticamente nos países industrializados no século 19 e início do 20. Então caíram a partir de meados do século 20, período que coincide coma  aprovação de leis sobre a qualidade do ar.

 

Essa correlação, disse Kaplan, foi um dos motivos de seu estudo. Ele acrescenta que as taxas de apendicite estão crescendo nos países em desenvolvimento que passam por industrialização neste momento. O estudo aparece na edição mais recente do Canadian Medical Association Journal.

Tudo o que sabemos sobre:
saúdecanadáapendicitepoluição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.