Arábia Saudita relata primeiras mortes por H1N1 entre peregrinos

A Arábia Saudita disse neste sábado que quatro peregrinos morreram do novo vírus da gripe H1N1, três dias antes do início da grande peregrinação muçulmana à cidade de Meca, informou um jornal local.

REUTERS

21 de novembro de 2009 | 15h27

O Ministério da Saúde do país disse que as mortes foram entre peregrinos que vieram de fora da Arábia Saudita, de acordo com o jornal al-Hayat online.

O porta-voz do ministro da Saúde Khaled Mirghalani não foi encontrado para comentar o assunto.

Todo ano, cerca de três milhões de muçulmanos participam da peregrinação, chamada de Haj, na cidade sagrada de Meca, incluindo mais dois milhões que vêm de fora. Os rituais do Haj começam nesta quarta-feira.

Especialistas em doenças dos Estados Unidos e de países árabes, entre eles a Arábia Saudita, dizem que ondas de vírus H1N1 espalhadas por peregrinos que entram e saem de Meca neste ano ameaçam pressionar os sistemas de saúde ao redor do mundo.

A peregrinação proporciona condições perfeitas para a disseminação do vírus, que é transmitido por meio de espirros e contato físico.

(Texto de Souhail Karam)

Tudo o que sabemos sobre:
GRIPEMORTEPEREGRINOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.