Araraquara cria disque-dengue para barrar avanço de epidemia

Cidade vive surto da doença e tem o maior número de casos do Estado: 589

da Redação, estadao.com.br

10 de abril de 2008 | 11h43

Com 589 casos de dengue já confirmados neste ano em Araraquara, na região de Ribeirão Preto, a prefeitura local vai colocar em funcionamento, na próxima semana, o serviço de telemarketing contra a doença. O objetivo é esclarecer o maior número de pessoas sobre os riscos e evitar o avanço da doença na cidade. A intenção da Vigilância Epidemiológica é alertar a principalmente as populações de bairros com casos confirmados ou suspeitos. Os moradores e vizinhos da região atingida serão informados por telefone. Eldorado: Cidade amplia ações contra epidemia de dengue Dos 589 casos de dengue de Araraquara, 586 são autóctones (transmitidos na cidade). Há ainda outros 150 casos suspeitos que dependem de exames laboratoriais para serem confirmados ou não. Os bairros com os maiores números de casos são Santa Angelina (52), Centro (52), Hortênsias (40) e São José (35). A faixa etária mais atingida é a entre 21 e 50 anos: 344 casos (152 homens e 192 mulheres). Serviços de bloqueio de criadouros do mosquito Aedes aegypti e nebulizações nos bairros estão sendo realizados por agentes de saúde da prefeitura. Esse é o maior surto de dengue da história de Araraquara, segundo a gerente da Vigilância Epidemiológica do município, Fabiana do Carmo Araújo. No ano passado, foram 303 casos confirmados. O governo de São Paulo afirma já ter enviado uma brigada especial, composta por cerca de cem técnicos, para colaborar no combate ao mosquito da dengue. Mas a prefeitura da cidade diz que o grupo enviado não passa da metade do declarado pelo Estado.  Segundo informações da Prefeitura de Araraquara, os 40 técnicos da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) que estão na cidade para ações de combate à dengue desde o final do ano passado chegaram a ser retirados pelo governo estadual em fevereiro. Após uma semana, o governo municipal pagou a estadia dos técnicos em hotéis da cidade para que eles retornassem ao serviço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.