Argentina já contabiliza 165 mortes por gripe suína

O secretário da Saúde da província de Buenos Aires teme uma segunda da doença onda em agosto

ARIEL PALACIOS, Agencia Estado

20 Julho 2009 | 19h43

Gripe suína se propaga a 'velocidade sem precedentes', diz OMSO ministro da Saúde, Juan Manzur, anunciou hoje que a Argentina já registrou 165 mortes em decorrência da gripe suína. No entanto, Manzur afirmou que o país está entrando em uma "etapa muito melhor". Segundo ele, as consultas no sistema de saúde argentino sobre a gripe suína "caíram 30%...mas o alerta continua". A oposição acusa o ministro e o restante do governo de "lerdeza" perante o avanço da pandemia.

Claudio Zin, secretário da Saúde da província de Buenos Aires, que concentra mais de um terço da população argentina, afirmou que "pode ocorrer uma segunda onda de gripe suína na primeira quinzena de agosto". A província contabiliza um total de 77 mortos pela gripe. A Argentina é o segundo país no mundo em número de mortos, atrás dos Estados Unidos. O México é o terceiro país no ranking mundial.

No Rio Grande do Sul, o município de Uruguaiana, que faz fronteira com a Argentina, decretou situação de emergência na tentativa de conter a propagação do vírus, depois que o Estado registrou um aumento de sete para 11 no total de mortes causadas pela gripe suína neste fim de semana. Hoje foi a vez da cidade gaúcha de Barra do Quaraí, que fica a 60 quilômetros de Uruguaiana, tomar a mesma medida.

Mais conteúdo sobre:
gripe suínaArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.