Science/AP
Science/AP

Arqueólogos descobrem pedaço mais antigo de cerâmica na China

Fragmento de 20 mil anos de idade foi encontrado em caverna no sul do país

BBC

29 de junho de 2012 | 14h06

Arqueólogos dos Estados Unidos encontraram no sul da China o que pode ser o pedaço de cerâmica mais antigo do mundo, com 20 mil anos de idade. A descoberta foi divulgada na revista Science. Os arqueólogos acreditam que os fragmentos encontrados são parte de um pote de 20 centímetros de altura e de 15 a 25 centímetros de diâmetro. Poderia ser um caldeirão usado para cozinhar alimentos ou para fermentação de bebidas alcoólicas.

Até recentemente, a maioria dos cientistas acreditava que potes de cerâmica e recipientes para bebidas haviam sido inventados depois do surgimento da agricultura, quando os humanos começaram a permanecer em um mesmo lugar por períodos mais longos. A razão desta teoria é que objetos de cerâmica são grandes e podem se quebrar, portanto não seriam úteis para as sociedades de caçadores e coletores, que iam de um lugar para outro em busca de alimentos.

Mas, nos últimos dez anos, pesquisadores descobriram fragmentos de cerâmica de antes do surgimento da agricultura. Agora, acredita-se que os artefatos já eram utilizados 10 mil anos antes do que se pensava. A última descoberta dos arqueólogos americanos ocorreu na caverna de Xianrendong, na Província de Jiangxi.

Segundo o chefe da pesquisa, Ofer Bar-Yosef, da Universidade de Harvard, cozinhar em caldeirões permitia que as pessoas conseguissem mais nutrientes dos alimentos. "Caçadores e coletores estavam sob pressão para conseguir o alimento necessário", disse Bar-Yosef. "Se a invenção é boa, se espalha rapidamente. E parece que naquela região do sul da China, a cerâmica se espalhou entre os caçadores e coletores em uma área grande", afirmou.

Motivos

Um dos possíveis motivos para a invenção da cerâmica é que, há 20 mil anos, a Terra passava pelo período mais frio em um milhão de anos. O professor Gideon Shelach, da Universidade Hebraica de Jerusalém, especula que também pode haver um motivo mais social para a invenção. "As pessoas estavam em grupos maiores e você precisava de atividades sociais para lidar com o aumento das tensões", disse Shelach. "Talvez aquelas cerâmicas eram usadas para fermentação de bebidas alcoólicas."

O professor acrescenta que antes, "acreditava-se que o início da (fabricação da) cerâmica estava associado à agricultura e um estilo de vida sedentário".

Bar-Yosef quer descobrir o que estas pessoas cozinhavam há 20 mil anos. Ele acredita que, o que quer que seja, era cozinhado a vapor ou fervido na água. "(O ato de) cozinhar com óleo começou mais tarde. (...) Pensamos que era usado para cozinhar com água, então é mais como um caldeirão", afirmou. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
ciênciaarqueologiachinacerâmicavida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.